NOSSO PERCURSO CARTOGRÁFICO

RESISTÊNCIAS

FEMINISMOS

FEMINISMOS

Lutas auto-organizadas por mulheres no enfrentamento aos racismos e machismos, que atacam cotidianamente nossas existências e possibilidades de sonhar. São caminhos político-afetivos de construção do poder popular. Ler mais

RELAÇÕES AGROECOLÓGICAS NO MAR E NA TERRA

Práticas de cultivo e colheita presentes nos quintais, muros e lajes, nas matas e favelas, nos quilombos, e também em baías, mangues e mares da Zona Oeste. Elas revelam os saberes afro-indígenas dos povos e grupos em nossos territórios, passados de geração a geração, e são fortalecidas pelo movimento agroecológico. São práticas que também cultivam e colhem vínculos comunitários e com a natureza, as culturas alimentares, ressignificando as vidas das mulheres no mar e na terra.  Ler mais

PRÁTICAS E SABERES ANCESTRAIS

Resistência ancestral que se constrói território e tem no protagonismo das mulheres as raízes de sua potência. Ler mais

ARTE, CULTURA E EDUCAÇÃO POPULAR

Práticas libertadoras, revolucionárias e transformadoras do cotidiano. Elas se fazem a partir da valorização de saberes populares, da criatividade e da comunicação oral e fofoqueira, na construção de conhecimentos comprometidos com os direitos e emancipação dos povos.

Ler mais

ECONOMIA FEMINISTA COMUNITÁRIA

Formas de gerir a vida comum pautadas no cuidado, nas relações de confiança e em solidariedade. São formas de troca, produção e ganha-pão gestadas em casas e cozinhas, nas coletivas de artesãs, agricultoras urbanas, educadoras, em feiras e redes de consumo responsável. Essas práticas visibilizam os múltiplos trabalhos realizados pelas mulheres na autogestão dos territórios. Ler mais

LUTA POR MORADIA

A luta por moradia se confunde com a luta contra as remoções. Essa é a nossa luta por conquista e permanência nos territórios ameaçados, no quilombo ampliado, que guarda a memória da vida e da ancestralidade, os afetos e as celebrações. É nossa luta pelo direito à cidade desde as vertentes periféricas que habitamos. Queremos o nosso lugar de direito e acesso público e de qualidade a trabalho, saúde, mobilidade, educação, cultura e alimentação saudável próximos de onde vivemos. Ler mais

VIOLAÇÕES/DENÚNCIAS

CAPITAL TRANSNACIONAL

Investimentos financeiros em grandes projetos que prometem “desenvolvimento e progresso”, mas, ao contrário, geram morte, impactos socioambientais, desigualdade e injustiça nos territórios. Não reconhecem limites nem fronteiras para suas ambições, exploram e expropriam vida aonde quer que cheguem e mandam as riquezas produzidas nesses territórios sempre para longe. Ler mais

ESPECULAÇÃO IMOBILIÁRIA E REMOÇÕES

Especulação imobiliária é o que faz tudo virar cimento. Remoção é o que faz tudo virar escombro. Com isso, expulsam famílias de seus lugares de pertencimento, criam situações de deslocamento forçado com base na coerção e/ou violência, afastam as mulheres e suas famílias dos seus locais de afeto, de sua comunidade e cultura. Militarizam o espaço e ameaçam a existência de quintais, rios, quilombos e formas de viver.

Ler mais

SEQUESTRO DAS ÁGUAS

Se a terra é nossa mãe, as águas são nosso leito, sustento, local sagrado e de cura para muita gente. O sequestro das águas se dá para o lucro de grandes empresas, com anuência do Estado, enquanto o direito e o acesso a ela são negados à grande parte da população da Zona Oeste do Rio. Ler mais

VIOLÊNCIAS

Formas de silenciamento, subordinação e extermínio que recaem sobre nossos corpos, nossos modos de produção e reprodução da vida, ameaçando o bem viver de mulheres, jovens e crianças. São violências que marcam nosso dia a dia nas casas, ruas, escolas, e outros espaços. São legitimadas ou impostas pelas instituições que deveriam garantir nossos direitos, mas perpetuam o machismo, o racismo e o capitalismo.

Ler mais