CartogrAfia Feminista 

ESPECULAÇÃO IMOBILIÁRIA

E REMOÇÕES

Especulação imobiliária é o que faz tudo virar cimento. Remoção é o que faz tudo virar escombro. São ações que andam de mãos dadas garantindo o enriquecimento de uns poucos privilegiados à custa da expulsão e das violações de direitos da maioria da população. A especulação imobiliária se especializa em constante destruição da cidade, coloca nos lugares condomínios que descaracterizam os bairros, elitiza os espaços, segrega e ameaça a existência de quintais, rios, quilombos e das formas de viver de pessoas que antes já habitavam os territórios.

 

Na Zona Oeste da nossa cidade, ela avança junto da militarização que garante o cercamento de terras, as privatizações e as disputas desiguais pelos bens comuns. Os governos e os setores da construção civil perseguem moral e psicologicamente as populações mais pobres e historicamente assentadas nas regiões alvo da especulação imobiliária, levando a uma situação de deslocamento forçado. Daí passam a coagir e a cooptar as moradoras e moradores, até expulsarem a última resistência.

A demolição das casas vizinhas, associações de bairro, posto médico, clubes, escolas e creches, somada à eliminação de linhas de transporte e ao desmatamento das áreas com vegetação remanescente, tudo isso faz com que a vida fique muito injusta e degradante. As mulheres e suas famílias, especialmente do quilombo urbano, sofrem ainda mais com a destruição de seus locais de afeto, de sua comunidade, cultura e a negação do seu direito à cidade.